Fechar
África, Deserto, Namíbia

Sossusvlei – As maiores dunas do mundo

17 de dezembro de 2016


Sossusvlei
é a atração mais procurada da Namíbia. Suas majestosas dunas alaranjadas formam cenários arrebatadores e perfeitos para fotografia. Em Sossusvlei também é possível subir a duna mais alta do mundo e se surpreender com a beleza do Deadvlei. Então, o que você está esperando para conhecer esse lugar incrível?

Localizada dentro do Parque Nacional Namib-Naukluft, no deserto da Namíbia, Sossusvlei é uma área rodeada pelas maiores dunas do mundo, que alcançam mais de 300 metros de altura. As dunas foram esculpidas pelo vento ao longo de anos e suas cores variam do marrom ao vermelho, contrastando com o azul intenso do céu.

Embarcamos para Sossusvlei num tour com a Chameleon Safaris. Conto mais sobre o planejamento dessa viagem no post Dicas de como planejar uma viagem para Namíbia.

Depois de Swakopmund seguimos para Sossusvlei. A viagem é feita num caminhão adaptado para levar passageiros.

Eu tinha feito sandboard pela manhã e o caminhão me buscou no local do sandboard. O único inconveniente foi ter que viajar cheia de areia, mas valeu a pena porque eu amei fazer sandboard.

O caminho até Sossusvlei é muito bonito e fizemos várias paradas para fotografar. Primeiro paramos num num lugar chamado Moon Landscape, uma paisagem que lembra a lua, com umas formações rochosas muito interessantes. O guia nos alertou quanto ao perigo de chegar perto da beirada, porque as pedras deslizam com facilidade e você pode escorregar. As rochas são bem irregulares e se tornam altamente cortantes se cair nelas.

Depois fizemos uma breve parada no local que marca a linha imaginária do Trópico de Capricórnio, a marcação da linha imaginária do Trópico de Capricórnio.

O Trópico de Capricórnio também passa pelo estado de São Paulo e inclusive tenho uma foto dele lá em Ubatuba.

Na maior parte do caminho não tem absolutamente nada, deserto total. Os banheiros são atrás dos poucos arbustos que existem ou nas partes mais baixas do terreno. É importante beber bastante água porque o clima seco castiga. É recomendado levar no mínimo 2 litros de água no caminhão.

Antes de chegar em Sossusvlei fizemos uma parada em Solitaire, uma cidadezinha no meio do nada.

Na entrada da cidade tem uma plaquinha e umas carcaças de carros velhos que dão uma impressão de cidade abandonada.

Lembra muito também aquelas cidades do Faroeste, com muitos cactos e o chão de terra batida. Ao redor as montanhas marrons dão um lindo contraste com o azul do céu.

Em Solitaire vende uma torta de maçã muito saborosa e que ficou famosa por ser feita num lugar tão isolado de tudo.

Depois de Solitaire fomos para o nosso Hotel Desert Camp. O hotel é excelente, com vários chalés super confortáveis e uma vista maravilhosa das montanhas.   

Depois de uma longa viagem até aqui nada melhor que desfrutar do conforto de um hotel no meio do deserto e descansar um pouco.

A primeira coisa que eu fiz foi cair na piscina pra me refrescar do calor do deserto. Uma delícia poder nadar um pouco e relaxar nas espreguiçadeiras do hotel depois de um dia cansativo.

À noite os guias prepararam um delicioso churrasco e jantamos todos juntos ao ar livre contemplando o céu estrelado.

No nosso grupo tinha até uma astrônoma que deu uma aulinha pra gente.

Depois fomos dormir cedo porque no outro dia teríamos que acordar à 5h da manhã para visitar as dunas de Sossusvlei.

Acordamos bem cedo para pegar o nascer do sol nas dunas. Tomamos o café da manhã e partimos para as dunas de Sossusvlei. A luz do sol deixa a duna com uma cor linda.

 

Quem quiser dá pra voar de balão nesse dia e encontrar o grupo depois do vôo.

Fizemos algumas paradas em várias dunas diferentes para fotografar e depois paramos na entrada do parque para ir ao banheiro e trocar de carro.

Seguimos num outro caminhão aberto até o início da caminhada pelas dunas.

A caminhada é na areia e pode ser feita descalço ou com um tênis confortável. Importante levar chapéu, bastante água e passar muito protetor solar.

O caminho até o topo da duna é longo e cansativo, mas a gente vai fazendo várias paradas para descansar. O calor é demais, muito quente e seco, tem que se hidratar bem.

O visual vai ficando cada vez mais bonito à medida em que vamos subindo.

 

Chegando no topo temos uma visão de 360 graus do deserto, das dunas ao redor, das montanhas e do Deadvlei. Uma vista extraordinária. Ficamos um tempo tirando fotos e apreciando a paisagem.

Em seguida descemos a duna até o Deadvlei. Pra descer é bem fácil e muito mais rápido. É uma reta só e dá pra descer correndo, é muito legal.

Ao final, chega-se ao Deadvlei, um vale muito lindo, onde o contraste de cores surpreende. O chão branquinho, as dunas vermelhas e o céu azul formam uma paisagem fantástica.

Seu nome significa vale morto, pelo fato de ser um lugar completamente sem vida por causa da seca. Espalhados pela planície branca estão alguns troncos de Acácias, que morreram por falta de água, mas que permaneceram ali intactos devido ao clima extremamente seco, que impediu sua decomposição.

Caminhamos por todo o vale e depois mais alguns minutos até o estacionamento para pegar o caminhão de volta. No caminho fizemos uma parada para um brunch. Paramos numa mesa embaixo de uma árvore e em poucos minutos os guias fizeram brotar um verdadeiro banquete com pão, salame, presunto, queijo brie, sucos. Uma delícia de picnic com vista para as dunas.

Depois voltamos para o hotel e aproveitamos a tarde na piscina.

Mesmo depois do farto brunch em Sossusvlei ainda teve almoço no hotel.

No final da tarde saímos para conhecer o Sesriem Canyon, um canyon que foi formado pelo rio Tsauchab durante milhões de anos e é um dos poucos lugares da região que possui água durante o ano inteiro.

Seu nome foi dado pelos primeiros exploradores da região que precisaram usar seis ( “ses”) correias de couro ( “riem”) para pegar água no fundo do canyon.


Descemos e caminhamos pelo interior do canyon observando as interessantes formações rochosas e ouvindo as histórias do lugar. Chegando ao final do canyon fomos surpreendidos com um cantinho com um pouquinho de água e alguns peixes lá dentro. Impressionante como esses peixes sobrevivem com tão pouca água.

Voltamos para o hotel e mais uma vez os guias prepararam um delicioso jantar para o grupo. Um tipo de cozido de frango com legumes muito saboroso e de sobremesa banana com chocolate assada na brasa. Eles cortaram a banana um pouco, colocaram chocolate dentro e embrulharam com papel alumínio e colocaram na grelha. Ficou delicioso.

No dia seguinte acordei cedo e vi o sol nascer atrás das montanhas, lindo demais.

Deixamos nosso Hotel às 7h e seguimos para Solitaire para ver as Cheetas. Nós embarcamos num caminhão aberto e entramos numa área de proteção para ver como vivem as Cheetas. Desembarcamos e caminhamos até o local onde elas estavam, não é perigoso, basta andar junto com o grupo e obedecer os limites de distância que o guia impõe. Foi bem interessante vê-las de perto.

Depois retornamos para Windhoek e o guia nos presenteou com uma torta de maçã pra cada um. Chegamos por volta das 14h no hostel Chameleon.

Voltei desse tour completamente maravilhada com toda a beleza desse lugar. Sossusvlei é diferente de tudo que eu já tinha visto, simplesmente surpreendente e extraordinário.

Fiz esse passeio à convite da Chameleon Safaris, mas todo o relato é baseado nas minhas experiências pessoais.

 

 

 

 

 

 

1 Comentário
Escreva seu comentário
Comente via facebook
1 Comentário
  1. […] nossa viagem para Sossusvlei nos hospedamos no fantástico Desert […]

Instagram
@seguindo_viagem
css.php