Fechar
Jalapão, Tocantins

Jalapão – Dia 3 – Fervedouros e Cachoeira do Formiga

09 de maio de 2017

No terceiro dia da expedição Jalapão exploramos o que tem de mais azul pela região, os delicados fervedouros e a maravilhosa Cachoeira do Formiga.

Após o café da manhã na pousada da Dona Bibi, fomos conhecer o Fervedouro Bananeiras, mais conhecido como Fervedouro do Ceiça, dono do local. Esse foi o primeiro fervedouro e onde começa a história do jalapão.

A palavra fervedouro significa agitação, inquietação. Esse fenômeno se dá pela ressurgência das águas, causando uma pressão que impede que o corpo afunde.

Isso ocorre porque sob o poço de água há um lençol freático e logo abaixo uma rocha impermeável. Sem encontrar um local de vazão pela rocha, a água nasce e é jorrada com muita pressão empurrando para cima a areia e o que houver sobre ela.

Fervedouro do Ceiça - Jalapão

Fervedouro do Ceiça – Jalapão

Como era feriado, a procura pelos fervedouros estava grande e tivemos que esperar um pouco pela nossa vez. Sorte que ao lado do fervedouro tinha um rio que dava pra passar o tempo se refrescando.

Fervedouro do Ceiça - Jalapão

Como ainda era cedo, o sol não estava iluminando totalmente o fervedouro, mas mesmo assim dava pra ver que a água tem uma cor linda.

Fervedouro do Ceiça - Jalapão

Para preservar o local, há algumas regrinhas, como:

Número máximo de pessoas por vez

Tempo de 20 minutos por grupo

Não pode usar protetor solar, repelente, bronzeador

Não pode levar areia, nem retirar a vegetação

Não deixar lixo no local.

Para entrar no fervedouro é preciso pagar uma taxa que varia de 15 a 20 reais por pessoa.

Depois do Fervedouro do Ceiça fomos visitar a Comunidade do Mumbuca, que é o berço da colheita e do artesanato do Capim Dourado. Lá tem uma loja de artesanatos enorme, com muitas peças feitas com o famoso capim dourado. Os preços são bem variados, tem brincos bem baratinhos de 5, 10, 15 reais e outras peças mais caras, como bolsas e objetos de decoração.

Comunidade do Mumbuca

Comunidade do Mumbuca

Em seguida fomos conhecer o Fervedouro do Rio Sono, que ficava ao lado do restaurante onde seria nosso almoço. Para nossa sorte o fervedouro estava bem mais vazio e logo ficamos com o fervedouro todo só pra nós.

Fervedouro Rio Sono

Já estava mais sol por causa do horário e dá pra ver o quanto a água fica mais bonita com sol.

Fervedouro Rio Sono

Dentro do fervedouro era cheio de peixinhos pequeninos.

Fervedouro Rio Sono

Almoçamos ali ao lado do ferevedouro, uma comidinha caseira no mesmo estilo dos outros lugares, self-servce à vontade.

Após o almoço fomos conhecer o fervedouro dos Buritis e para nossa sorte ele estava completamente vazio.

Fervedouro dos Buritis - Jalapão

Fervedouro dos Buritis – Jalapão

Fervedouro dos Buritis - Jalapão

Fervedouro dos Buritis - Jalapão

A água do fervedouro é muito transparente, a foto embaixo d’água ficou um pouco turva porque levantou areia.

Fervedouro dos Buritis - Jalapão

Galera do grupo aproveitando o fervedouro.

Fervedouro dos Buritis - Jalapão

Depois fomos visitar o Fervedouro Buritizinho, um fervedouro menor que os demais, com capacidade para apenas 3 pessoas por vez. O diferencial do Buritizinho é a cor da água, um azul mais turquesa. O formato dele também é diferente, mais comprido.

Fervedouro do Buritizinho - Jalapão

Fervedouro do Buritizinho – Jalapão

Fervedouro do Buritizinho - Jalapão

No fundo do fervedouro tem uma tábua de madeira, que dá pra ficar sentado. Aproveitamos para fazer umas fotos com dome.

Fervedouro do Buritizinho - Jalapão

O último fervedouro visitado foi o Encontro das Águas, o mais forte dos fervedouros. A pressão é tão forte que a gente não consegue ficar em pé, as pernas são empurradas para cima o tempo todo. Ele não era tão bonito quanto os outros, mas sem dúvida era o mais divertido.

fervedouro-encontro-das-águas

Fervedouro Encontro das Águas

Depois da maratona de fervedouros fomos para a Cachoeira do Formiga, uma das atrações mais importantes do Jalapão.

Cachoeira do Formiga - Jalapão

Cachoeira do Formiga – Jalapão

A Cachoeira do Formiga é uma cachoeira de água azul turquesa e muito transparente. A beleza dessa cachoeira é muito impressionante.

Cachoeira do Formiga - Jalapão

Quando chegamos já estava sombra no local, mas mesmo assim era possível ver a tonalidade de azul da água.

Cachoeira do Formiga - Jalapão

Cachoeira do Formiga - Jalapão

O banho na Cachoeira do Formiga é maravihoso, a temperatura da água é muito gostosa, não é gelada como a maioria das cachoeiras.

Cachoeira do Formiga - Jalapão

Cachoeira do Formiga - Jalapão

E a transparência dessa água? Absurda!

Cachoeira do Formiga - Jalapão

Ficamos até tarde curtindo a cachoeira, foi muito divertido.

Cachoeira do Formiga - Jalapão

No caminho para São Félix ainda paramos na estrada para assistir ao pôr do sol.

Pôr do sol no Jalapão

Pôr do sol no Jalapão

O pernoite em São Félix foi na pousada Encanto do Jalapão, num chalé muito bonitinho na beira do rio.

Pousada Encanto do Jalapão

Pousada Encanto do Jalapão

Aproveitamos nossa última noite conversando e observando as estrelas, o céu do Jalapão é lindo demais. A viagem já estava acabando e o Jalapão já começava a deixar saudades.

Informações:

Jalapão Selvagem

Site: https://www.jalapaoselvagem.com/

Telefone: 63 – 8401-4222

Email: jalapaoselvagem@gmail.com

Confia todos os posts do Jalapão:

Dicas do Jalapão

Jalapão – Dia 1 – Canyon Sussuapara, Rio Novo e Pedra Furada

Jalapão – Dia 2 – Cachoeira da Velha, Prainha e Dunas

Jalapão – Dia 3 – Fervedouros e Cachoeira do Formiga

Jalapão – Dia 4 – Fervedouro Bela Vista, Cachoeira das Araras e Morro Vermelho

2 Comentários
Escreva seu comentário
Comente via facebook
2 Comentários
  1. anderson    16/11/2017 - 15h02

    ola boa tarde !! vc colocou que ir entre maio a setembro sera que abril fica ruim tempo por la, obs vc acha que ir sozinho e contratar um guia la consigo achar.

    • Dayana    17/11/2017 - 10h54

      Oi Anderson,
      Acredito que abril seja uma época boa também. Sozinho não aconselho, você vai precisar de um carro 4×4 porque as estradas são de areia e é muito fácil atolar. Lá não pega sinal de celular, então se acontecer alguma coisa você não vai conseguir pedir ajuda. Se você tiver um grupo acho que pode tentar encontrar um guia sim. Eu contratei uma expedição com a Jalapão Selvagem e gostei muito. Recomendo!

Instagram
@seguindo_viagem
css.php