Fechar
América do Norte, Caribe, Isla Mujeres, México, Praia

Nado com golfinhos em Isla Mujeres

27 de março de 2014
Isla Mujeres tem esse nome porque de acordo com a lenda a ilha era usada pelos maias como um santuário dedicado a Ixchel, deusa do amor e da fertilidade. Quando os espanhóis chegaram na ilha, encontraram várias esculturas e estátuas de mulheres, em homenagem à deusa e assim deram à ilha o nome de Isla Mujeres.
Dá pra conhecer a ilha em 1 dia, saindo cedinho de Cancun e voltando no final da tarde, aproveitando todo o dia em Isla Mujeres. A ilha é bem pequena e você pode conhecê-la à pé mesmo ou alugar  um carrinho de golf para ir nos locais mais afastados. O lugar é bem rústico, calmo, com poucos restaurantes e hotéis e as praias são bem mais vazias, ótimo para quem está em busca de tranquilidade. A Playa Norte fica bem ali no centro mesmo e você pode ir caminhando tranquilamente. A praia tem águas cristalinas e é praticamente sem ondas.
O centro, os hotéis, restaurantes e comércio ficam concentrados na parte norte da ilha, onde o ferry desembarca os passageiros. Já na parte sul estão os locais para mergulho, as ruínas e as praias mais desertas.
Como chegar:
Os ferry-boats para Isla Mujeres partem do centro de Cancun (Porto Juarez) ou da Zona Hoteleira.  As
empresas que operam o trajeto são a Ultramar e a Magaña Express (mais barata e usada pelos moradores locais). O trajeto dura cerca de 20 minutos.
Outra opção é fechar um passeio de 1 dia com alguma agência e eles te pegam no seu hotel.
Esse foi o único passeio que eu fechei com agência, pois queria fazer o nado com golfinhos em Isla Mujeres e no preço já estava incluído o deslocamento até a ilha, comidas e bebidas liberadas e visita à ilha. Não compensava comprar separado porque o preço do nado com golfinhos era o mesmo.

O que fazer
  • Ir à Playa Norte – basta ir caminhando para a esquerda após desembarcar na ilha. A praia é bem tranquila, água calminha, tem barzinhos, restaurantes, espreguiçadeiras.
  • Caminhar pelo centrinho
  • Conhecer o Museu Musa – o maior museu subaquático do mundo.
  • Alugar um carrinho de golf e passear pelo lado sul da ilha
  • Mergulhar com tubarão-baleia
  • Nadar com golfinhos
  • Visitar o Parque Garrafon, um parque aquático natural
  • Visitar a Tortugranja – um local de preservação das tartarugas
O que eu fiz:
Durante minhas pesquisas, coloquei na minha cabeça que se eu fosse nadar com golfinhos seria em Isla
Mujeres. Então comprei o pacote da empresa Dolphin Discovery que incluía o transporte, comida, bebida, visita ao centro da ilha e o nado com o golfinho.
Uma van me buscou em Playa e nos levou até o porto de onde sairia a embarcação para a ilha. No barco serviu um café da manhã simples e bebidas à vontade. Chegamos num clube de praia bem bonito com muitas piscinas e área verde. São 3 tipos de programas de nado com golfinhos:
Dolphin Encounter – é um rápido encontro com o golfinho, rola o beijinho, abraço, canção do golfinho e saudação de mão. É mais estático e indicado para crianças pequenas.
Dolphin Swim Adventure – é um programa intermediário no qual você faz tudo o que o Encouter faz e também nada com o golfinho. Primeiro você nada na barriga do golfinho segurando nas suas nadadeiras e depois, com o auxílio de uma prancha o golfinho te empurra pelos pés. Foi o que eu fiz.
Dolphin Royal Swim – É o mais completo e dinâmico, o maior diferencial é o nado em pé com dois golfinhos, cada um empurrando por um pé, como se você estivesse voando.
Dicas Importantes
  • Você pode comprar o Adventure e lá eles vão te oferecer um pacote de fotos que inclui a foto do nado com dois golfinhos, entre outras fotos com os dois golfinhos também. Basta você comprar as fotos antes de fazer o nado. Vale ressaltar que esse pacote é um pouco mais caro que o pacote básico de fotos.
  • Se não fizer questão do nado com dois golfinhos pode deixar para comprar as fotos depois do nado, pois eles tiram fotos de todos e aí você decide se quer comprar ou não.
  • Lá no porto antes de embarcar para Isla Mujeres, eles te dão um papel com um cupom de desconto de 10% nas fotos. Guarde o papel e lembre-se de mostrar na hora de pagar. Muita gente esquece e perde um bom desconto.
Na prática funciona da seguinte forma: O grupo de umas 7 pessoas desce no dolfinário e fica enfileirado na beirada. A instrutora do golfinho vai passando as orientações e um por um vai fazendo. Primeiro uma sequência de poses tradicionais, mão nas nadadeiras, beijinho etc. A cada pose o fotógrafo faz seu registro. Depois o nado segurando no golfinho e por último com a prancha e o golfinho empurrando pelos nossos pés. Após cada atividade realizada o golfinho ganha um peixinho como recompense.
nado com golfinho
 Depois disso aproveitei para descansar nas espreguiçadeiras com aquela vista do mar do Caribe e tomar banho de piscina.

 

O almoço era bem variado e era servido até às 17h.

Estava incluso no pacote também um passeio de bicicleta até a Tortugranja e uma visita ao centro da ilha às 15h.
Visitei a ilha, caminhei um pouco pelo centrinho e pela Playa Norte.  A ilha é uma gracinha, tem um clima de cidade pequena. A praia é linda, sem prédios em volta, com muitos coqueiros e restaurantes bem interessantes. Vi uma noiva fotografando e fiquei imaginando como as fotos devem ter ficado lindas.
Às 17:30h o nosso barco voltou para Cancun. Chegando no porto a van estava nos esperando. A van foi deixando os passageiros nos hotéis e eu fui a última a ser deixada, o que tornou a viagem bem cansativa.
Considerações finais
No final das contas eu não achei que valeu a pena o nado com golfinhos em si, porque o processo é muito mecânico e fiquei com pena dos bichinhos. Apesar de eles garantirem que estão respeitando os animais e o maio ambiente, achei muita exploração com os golfinhos. Eles devem ficar cansados de ter que fazer o mesmo movimento com 7 pessoas e depois ainda tem outros grupos, são vários horários. Eles devem trocar de golfinho, espero. Fiquei um pouco decepcionada, porque não é como nos filmes, que você está nadando e aparece um golfinho do seu lado do nada. É um processo muito artificial.
Eu trocaria tranquilamente o nado com golfinhos por um mergulho no Museu Subaquático de Arte (MUSA), que me pareceu ser bem mais interessante, mas eu acabei esquecendo da existência desse museu quando estava lá em Playa e fechei o pacote dos golfinhos.
As obras são do escultor britânico Jayme Taylor e foram pensadas para interagir com as águas e com os animais, explorando a relação entre a arte moderna, o homem e o meio ambiente.
O motivo da criação desse museu é bem interessante. Como todos os anos milhares de pessoas mergulham nos corais do Caribe, causando alguns prejuízos ao meio ambiente,  empresários e artistas locais se mobilizaram para a criação de um museu de formas humanas e réplicas de moradores locais, como forma desviar os turistas dos corais para a nova atração e preservar a fauna local.
Para quem quiser saber mais sobre o museu segue o link do site Musa Isla Mujeres e Musa Cancun
0 Comentários
Escreva seu comentário
Comente via facebook
Instagram
@seguindo_viagem
css.php