Fechar
Bariloche, Lago

Puerto Blest e Cascada de Los Cántaros

02 de agosto de 2016

Como é a navegação até Puerto Blest

Fomos até Puerto Pañuelo de ônibus, compramos os tickets para o passeio na hora mesmo (580 pesos cada) e pagamos a taxa de embarque (132 pesos para brasileiros).

puerto-blest-bariloche-11

Embarcamos num enorme catamarã e saímos às 10h do porto. A navegação até Puerto Blest dura 1:20h e o caminho é lindíssimo.

puerto blest bariloche

Durante a viagem o guia vai contando a história do lugar. A parte mais interessante é quando passamos ao lado da Ilha Sentinela, onde estão os restos mortais do Perito Moreno. Nesse momento ouve-se o som do apito do barco em homenagem ao Perito Moreno, figura importantíssima na história da Patagonia. Quem quiser saber mais sobre ele, nos meus relatos da viagem para Ushuaia e El Calafate eu comento um pouco.

A navegação é feita pelo braço mais importante do Lago Nahuel Huapi, o Brazo Blest.

 

puerto-blest-bariloche-2

puerto-blest-bariloche-12

puerto-blest-bariloche-20

puerto-blest-bariloche-21

puerto-blest-bariloche-22

Chegando em Puerto Blest é impossível não se encantar com suas águas esverdeadas e clarinhas e as lindas montanhas nevadas ao fundo. Logo no desembarque tem um Hotel com restaurante e banheiros. Caminhamos um pouco ao redor do porto, fizemos picnic com o lanche que levamos e tiramos umas fotos.

puerto-blest-bariloche-14

puerto-blest-bariloche-4

puerto-blest-bariloche-5

puerto-blest-bariloche-23

As navegações pelo Lago NahuelHuapi são operadas pela empresa Turisur que realiza dois passeios diferentes, Isla Victoria e Bosque de Arrayanes e Puerto Blest.

Optei por fazer a navegação até Puerto Blest porque o Bosque de Arrayanes já iríamos conhecer quando fôssemos para Villa La Angustura.

O outro passeio vai até aIsla Victoria, a maior ilha do Lago Nahuel Huapi, onde é possível fazer uma caminhada e apreciar diferentes espécies de plantas e belos mirantes. No mesmo passeio visita-se o famoso Bosque de Arrayanes, um bosque único no mundo repleto de árvores avermelhadas e centenárias, que teria inpirado o filme Bambi.

Lá no barco, os guias da Turisur oferecem um passeio opcional pelo Lago Frías, um lago verdinho com vista para o Cerro Tronador. Como eu adoro um passeio de barco, eu fui. O passeio custou 220 pesos e valeu a pena porque além do lago ser lindo, ainda tem uma vista espetacular do Cerro Tronador, um glaciar milenar que fica na fronteira entre o Chile e a Argentina.

puerto-blest-bariloche-15

A cor verde do Lago Frías é proveniente dos glaciares do Cerro Tronador.

Para esse opcional temos que pegar um ônibus e percorrer um trecho de menos de 10 minutos até Puerto Alegre, onde pegamos um catamarã menorzinho que vai navegar pelo Lago Frías até chegar em Puerto Frías, onde é feita a imigração de quem segue para o Chile.

puerto-blest-bariloche-16

puerto-blest-bariloche-17

puerto-blest-bariloche-6

puerto-blest-bariloche-7

puerto-blest-bariloche-8

puerto-blest-bariloche-24

puerto-blest-bariloche-26

Esse percurso desde Puerto Pañuelo até Puerto Frías é a etapa Argentina do Cruce Andino que atravessa começa em Bariloche e termina em Puerto Montt, no Chile. Eu até pensei em fazer o Cruce Andino, mas depois que li o relato do Ricardo Freire optei por não fazer.

O lado positivo do Cruce Andino é que você faz vários passeios lacustres no mesmo dia e vai de um país ao outro, ganhando tempo.

O ponto negativo é que é bem caro, 280 dólares e se o tempo estiver ruim você não vai ver quase nada. Outra dica interessante é que o restante da navegação, a parte chilena, é feita à tarde, com o Osorno contra o sol (no meu caso que ia da Argentina para o Chile). Então, a dica é: se você for fazer o cruzeiro, procure fazer no sentido Chile – Argentina para pegar o vulcão iluminado pelo sol.

No final das contas a conclusão é que se você estiver viajando com pouco tempo o cruzeiro é uma boa opção. Mas, se você estiver com mais tempo para conhecer a região o melhor é fazer os passeios separadamente, além de ser mais barato.

Eu optei por fazer os passeios separadamente, alugar um carro para conhecer Villa La Angustura e fazer a Rota dos Sete Lagos até San Martin de Los Andes. Saiu bem mais barato que o cruzeiro.

Depois que voltei do passeio pelo Lago Frías, embarcamos novamente no catamarã para cruzar o um pequeno trecho do lago até a Cascada de Los Cántaros, uma trilha por dentro da Selva Valdiviana, que passa por várias cachoeiras até chegar no Lago Cántaros, onde a cascata se forma.

A trilha é feita num tablado de madeira e é uma subida de cerca de 30 minutos. A subida, no entanto é tranquila, escalonada com degraus e trechos nivelados. Além disso, possui vários mirantes ao longo que servem como uma pausa para descanso.

puerto-blest-bariloche-18

Ao final da trilha chega-se ao lindo Lago Cántaros e depois a trilha continua para descer.

puerto-blest-bariloche-19

Terminada a trilha voltamos para o catamarã e seguimos viagem de volta até Puerto Blest.

Eu gostei bastante desse passeio, o dia estava lindo e as paisagens incríveis.

 

1 Comentário
Escreva seu comentário
Comente via facebook
1 Comentário
  1. […] Bariloche – Puerto Blest […]

Instagram
@seguindo_viagem
css.php