Fechar
Bolívia, La Paz, Urbano

La Paz

19 de abril de 2014
A Bolívia é um país pobre, com péssimas estradas e totalmente despreparado para o turismo. Para conhecer o país é preciso ter espírito aventureiro, coragem para enfrentar o mal da altitude e o frio congelante e até se desapegar da higiene às vezes. Apesar disso, o mais importante que posso dizer da Bolívia é que é um país encantador, com paisagens surreais, povo humilde e trabalhador, e que tem muito a nos ensinar. Deixe a Bolívia surpreender você.
Viajei para Bolívia em abril utilizando milhas da Gol com destino à Santa Cruz de La Sierra. Após ler muitos relatos no mochileiro, decidi que o roteiro seria: Rio – Santa Cruz – La Paz – Copacabana – Ilha do Sol – La Paz – Uyuni – Potosí – Sucre – Santa Cruz de La Sierra – Rio. Devido alguns contratempos (soroche) tivemos que adaptar o roteiro e não fomos para Potosí nem Sucre, porque decidimos voltar para La Paz e fazer o Chacaltaya e o Downhill (que não conseguimos fazer antes porque passamos mal uns 2 dias). Vale ressaltar também que escolhi começar a viagem por La Paz para poder comprar os casacos de goeretex que são baratos e seriam muito úteis durante o Salar.
Principais dicas antes da viagem:
1- Leve o certificado internacional de vacinação contra febre amarela. Basta tomar a vacina em qualquer posto e levar o cartão de vacinação, juntamente com sua identidade, a um dos centros de atendimento (veja a lista aqui).  Aqui no Rio de Janeiro eu tomei a vacina e emiti o certificado no mesmo local, na Rua Evaristo da Veiga, 16 – Centro, do lado do Teatro Municipal. Levei menos de 10 minutos.
2- Reserve alguns dias de folga no seu roteiro, pois é muito comum bloquearem as estradas em protesto de alguma causa. Eu peguei um bloqueio indo voltando de Uyuni para La Paz.
3- No dia da chegada a coisa mais importante a se fazer é descansar, de verdade. Não caminhe, não faça esforços, você pode não sentir na hora, mas depois a soroche vai te pegar com força. A segunda é tomar mate de coca e se preferir, mascar as folhas para prevenir o mal da altitude. Ë recomendável ter também as Soroche Pills e outros remedies para dor de cabeça, enjôo, febre. Não coma nada pesado à noite, principalmente no dia da chegada, pois a digestão é lenta.
4- Faça um seguro se viagem e saiba como utilizá-lo caso necessite.
5- Não se arrisque comendo nas barraquinhas de rua. Eu não comi nada na rua, só o cheiro de fritura já me enjoava. Higiene zero.
6- Leia muitos relatos no site mochileiros, pesquise sobre os passeios e divirta-se antes mesmo da viagem começar. Leve anotado os nomes das empresas de ônibus, hostel recomendados, agências de passeios, principalmente as do Salar.
7- Se for de La Paz para Uyuni de ônibus, vá com a TODO TURISMO. Por favor, não vá com a OMAR. A Todo Turismo é excelente, sai mais tarde e chega mais cedo, tem jantar e café da manhã e service de primeira. A pegadinha é que a agência deles não fica no terminal junto com todas as outras, fica do lado de fora, tem que perguntar e procurar um pouco.
8- La Paz é o lugar mais barato para comprar roupas de frio, artigos esportivos em geral, souvenir, etc. Já os artigos de sal, compre na primeira parade do tour do Salar.
9- Cuide bem dos seus pertences. Não desgrude da sua mochila. Não tive nenhum problema, mas sempre me orientavam  a usar a mochila para frente.
10- Leve dólares e troque por bolivianos lá. Dê preferência às notas de 100 dólares, pois a cotação é melhor. Fuja das casas de câmbio dos aeroportos, pois sempre têm a pior cotação. Troque só o necessário para sair dele.
A Bolívia possui duas capitais, La Paz, que é a capital administrativa e Sucre, que é a capital constitucional.  Chegando em La Paz o choque cultural é muito grande. O centro é uma mistura de ambulantes, cheiro de frango frito, gente vendendo tudo que você possa imaginar, trânsito maluco, um verdadeiro caos. Quando fui procurar um Mercado para comprar algumas comidas, me deparei com uma grande feira, onde cada pessoa é um mini empresário e vende seus produtos. Uma barraquinha vende bebidas, outras produtos de higiene, outras frutas, outras carnes. Daí eu pensei, será que não existe loja normal, Mercado grande como estamos acostumados? Existe sim, La Paz também tem sua área nobre, com casas bonitas, lojas, um pouco mais afastado do centro.
Ficamos no Hostel Loki, bastante recomendado no Mochileiros. Gostei bastante, reservei um quarto compartilhado só de meninas, mas ficamos praticamente eu e minha irmã sozinhas num quarto com 6 camas e banheiro. O hostel é limpo, o café da manhã é simples, mas você pode incrementar com omeletes e outras comidinhas pagando baratinho. O restaurante serve almoço e jantar também. O hostel é bem animado, as festas acontecem no sexto andar. Tem uma sala de TV com muitos filmes. No primeiro dia que passei mal assisti um filme bem legal chamado “Não se aceptam devoluciones”.
Restaurante e local das festas do Hostel Loki
Um pouco do comércio local
Igreja de São Francisco

As ruas mais interessantes são a Calle Sagárnaga, Calle Llampu, Calle Murilo e Av Mariscal de Santa Cruz. Nessas ruas você vai encontrar as agências principais, lojas, restaurants. Na Calle Llampu há um Mercado de artesanías bem legal, com muitas lojas e preços camaradas. Se prepare para subir as ladeiras de La Paz. No início parecia uma maratona, mas nos últimos dias eu já conseguia andar até rápido nessas ladeiras. O corpo se adpta mesmo.
Entre a calle Sagárnaga e a Calle Lampu está o famoso Mercado da Bruxas, que na verdade são barraquinhas que vendem, entre outras coisas, artigos esquisitos como fetos de llama, que são considerados como amuletos para eles.

Calle Sagárnaga
Mercado das Bruxas

Eu e minha irmã passamos muito mal na primeira noite por causa da soroche. Vomitamos todo o pollo frito que comemos no Pollo Copacabana (que havia sido recomendado por muitos mochileiros, mas não caiu bem na gente). Fiquei sem querer comer frango frito pro resto da vida.
No outro dia não Conseguíamos comer nada. Fiquei só na base do mate de coca, o que também corta a fome. Essa foi nossa primeira refeição decente em La Paz, no restaurante Sol y Lua, um pollo a la plancha, arroz e verduras.

 
A igreja de São Franciso no fundo
Vale a pena caminhar até a Plaza Murillo,  principal espaço público da cidade. Seu nome é uma homenagem a Pedro Domingo Murillo, patriota boliviano e precursor da independência do país. Ao redor da praça estão o Parlamento, o Palácio do Governo, a Catedral Metropolitana e o monumento a Murillo.
Catedral Metropolitana de La Paz
 Zona Sul de La Paz.

Na Zona Sul de La Paz, o mais perto que se parece de um shopping é esse Cine, com algumas poucas lojinhas.

Almoço com nossos amigos bolivianos e o chileno que estava no nosso hostel.

Os principais passeios de La Paz são:

1- Passear pelas ruas já citadas anteriormente e aproveitar os ótimo preços de La Paz. É bom para comprar casacos, gorros, meias e outras peças de Alpaca (muito mais barato que no Peru), artigos esportivos, artigos de couro (compramos uma bolsa linda tipo carteiro por 130 bolivianos, carteiras de couro por 30 bolivianos), casaco de goeretex da Northface…
2- Chacaltaya – É um pico de 5.421m de altitude na Cordilheira dos Andes, onde funcionava a estação de esqui mais alta do mundo, hoje desativada devido ao aquecimento global. A van leva o grupo até a base que fica a 5.300m. Para chegar até o topo são uns 100 metros de subida que parecem uma eternidade, pois é preciso vencer o frio, o vento cortante e a altitude, que faz com que qualquer esforço físico pareça uma maratona. É importante estar bem aclimatado antes de fazer esse passeio.
3 – Valle de La Luna – É um sitio arqueológico localizado na parte baixa de La Paz e tem esse nome devido às formações rochosas parecerem o solo da Lua. Esse passeio é feito em conjunto com o Chacaltaya. Muita gente volta do Chacaltaya e prefere ficar no centro e não ir no Valle de la Luna, mas eu recomendo, achei muito interessante e bonita a paisagem.
4- Downhill na Estrada da Morte – É uma descida de bicicleta na Estrada mais perigosa do mundo. Apesar do nome, atribuído graças ao elevado índice de acidentes fatais, é seguro descer de bike se você seguir as instruções e não abusar. O circuito começa em La Cumbre, aos pés da montanha Huyaina Potosí, a 4.700m, e termina em Yolosa, a 1.100m. São inacreditáveis 3.600m de desnível, em apenas 65 km de distância e abismos que chegam até 900 metros de profundidade. Ao longo de todo o percurso a paisagem é de tirar o fôlego. Exuberantes montanhas nevadas, lagos e dezenas de cascatas completam o cenário arrebatador.  Foi o melhor passeio de La Paz.

 
5 – Tiwanaku – É um importante sítio arqueológico pré-colombiano, estudiosos das culturas andinas classificam esta civilização como os mais importantes precursores do império Inca. Não fiz esse passeio, mas parece interessante.
(foto retirada da internet)

 

0 Comentários
Escreva seu comentário
Comente via facebook
Instagram
@seguindo_viagem
css.php