Fechar
Santa Cruz de La Sierra, Urbano

Santa Cruz de la Sierra

27 de abril de 2014
 Santa Cruz de la Sierra é a segunda maior cidade da Bolívia, bem mais desenvolvida e industrializada que o resto do país. O clima é bem quente e há muitos brasileiros que vem estudar nas universidades daqui. O centrinho é a praça 24 de Setembro, com várias lojas de artesanato ao
redor e uma linda catedral, a Catedral Metropolitana Basílica de San Lorenzo próximo à Praça 24 de setembro existe vários restaurantes interessantes.
Voamos de La Paz até Santa Cruz de La Sierra pela BOA. Ficamos hospedadas no Residencial Bolívar, um hostel muito bem localizado, ao lado da Praça 24 de Septiembre, grande e espaçoso, com café da manh, além de um inusitado hóspede, muito bonitinho, um lindo tucano. Ficamos num quarto com 2 beliches. Foi a primeira vez que fiquei num quarto misto, mas foi muito tranquilo, dormi super bem e não tive nenhum problema. Vários banheiros individuais do lado de fora, bem limpinhos e ainda estava incluído toalha e sabonete.
 Parece normal, mas é que a gente estava tão acostumada em não ter nada disso nos hostels que ficamos, que esse pareceu um resort. Fui dar uma volta e descobri que Santa Cruz é bem interessante. Totalmente diferente, uma cidade grande e bem arrumadinha. Muitas lojinhas legais, preços mais altos que La Paz, uma feirinha de artesanato, comprei umas carteiras de couro para dar de presente.
Fomos na sorveteria Vaca Fría, sorvete delicioso, um dos melhores que já comi, compramos um pote chamado de tamanho P, mas que vinham 4 bolas de sorvete por 23 bol.
Fiquei com vontade de comer em vários lugares lá. Pena que La Paz não tinha essas coisas. Depois entramos num restaurante chamado Pícolo, bem animado, com balões, muita música para atrair os clientes, parecia que estava tendo uma festa. Entramos e fomos para o segundo andar, música ao vivo, ambiente agradável. Um cardápio cheio de opções deliciosas, foi difícil escolher. Pedi um prato
de desayuno que vinha: 3 ovos fritos, 1 bife, 1 suco de laranja e 2 panquecas, custou 47 bol.

  Último dia: Acordamos cedo, tomamos café e fomos dar um passeio pela praça 24 de setembro  e tirar umas fotos. Estava tendo também uma feirinha de artesanato atrás da catedral.

Infelizmente chegou a hora de nos despedir da Bolívia, e no aeroporto Viru Viru fechamos a viagem com chave de ouro no restaurant Cinnabon. Essa foi a melhor coisa que comi na Bolívia, o Cinnabon é uma espécie de pão doce recheado com canela muito delicioso. A cobertura é opcional, pedi de doce de leite, mas na verdade nem precisava porque só ele tradicional já é perfeito.


Também pedimos um Panini recheado com ovo, salsicha e queijo. Muito gostoso.

0 Comentários
Escreva seu comentário
Comente via facebook
Instagram
@seguindo_viagem
css.php