Fechar
Urbano, Uruguai

Colonia del Sacramento

17 de agosto de 2014

Colonia del Sacramento é uma cidade localizada a cerca de 2 horas de Montevidéu e apesar de ser uma cidade Uruguaia é mais comum visitá-la vindo de Buenos Aires, através do Buquebus, uma grande balsa que faz o transporte de pessoas e veículos pelo Rio de la Plata. Por isso, muita gente que está em Buenos Aires aproveita para fazer um bate-volta até Colonia.

A cidade foi alvo de disputa entre  portugueses e espanhóis devido a sua posição estratégica na entrada do Rio da Prata – exatamente em frente a Buenos Aires – e carrega até hoje essa mistura de história e arquitetura portuguesa e espanhola. Passear pelo seu centro histórico é como fazer uma viagem ao
passado, já que as ruas e casas foram preservadas para manter seu aspecto original.Colonia é muitas vezes comparada à Paraty. As  ruazinhas de pedra, a arquitetura colonial, a boa gastronomia e a atmosfera charmosa lembram muito a cidade do litorial do Rio de Janeiro. A cidade é pequenininha e muito charmosa. Ela conta com um centro histórico, um farol, muito verde e praias formadas pelo Rio da Prata. Lá é possível ver algumas ruínas e belos edifícios, como a Basílica do Santíssimo Sacramento, o Farol, construído em 1845 e as inúmeras ruazinhas de calçamento de pedras, que dão esse charme tão especial à cidade.

Durante os 4 dias que fiquei em Montevidéu, aproveitei para conhecer essa cidade charmosa e encantadora. Peguei o ônibus da empresa COT no terminal Tres Cruces às 07:45 da manhã e às 10:35 cheguei em Colonia.  A rodoviária fica bem perto do centro histórico, dá pra ir caminhando sem problemas. Assim que cheguei me deparei com uma porta gigantesca, era o Portón de Campo, uma porta de entrada que ainda conserva restos da antiga muralha que existia em Colonia. Junto ao portão há um centro de informações turísticas, ótimo para pegar um mapa e pegar as informações sobre as principais
atrações. Há também várias lojinhas de souvenir por ali.
O legal de Colonia é caminhar sem rumo, pelas ruas antigas de pedras, observando os casarões históricos e as ruínas da cidade. Sem pressa! Colônia combina com um dia tranquilo.
Uma das primeiras ruas que me deparei logo no início da caminhada foi a Calle de los Suspiros, a rua mais antiga de Colonia del Sacramento. Essa rua é parada obrigatória para quem visita Colonia, por toda a história que traz consigo.  A rua tem um estilo tipicamente português e ainda conserva as pedras de seu pavimento original. As casas antigas pertencem à época do primeiro período colonial. A rua é fechada para carros, mas os pedestres podem circular à vontade por ela.
Subindo a Calle de los Suspiros cheguei na Plaza Mayor, a principal praça da antiga colônia, ao seu redor há vários estabelecimentos, como restaurantes, museus, casa de câmbio e hotel.
Colonia foi fundada em janeiro de 1680 pelo português Manoel Lobo. Em agosto do mesmo ano, a cidade foi tomada pelos espanhóis. Esta foi a primeira de sete trocas do poder, em que os portugueses e espanhóis se alternavam no comando da cidade, até que em 1778, finalmente, ela passou a se tornar da Espanha em definitivo.
Em 1995, a cidade de Colonia del Sacramento recebeu o título de Patrimônio Cultural e Natural Mundial pela UNESCO. Quem visita a cidade tem a impressão de que ela parou no tempo, pois as ruas de pedra e os casarões ainda preservam o aspecto original.
Antigamente, Colonia era considerada uma espécie de chave para os rios, pois com sua localização estratégica era possível controlar o acesso das embarcações aos rios Uruguai, Paraná e Paraguai. Desde que o navegador espanhol Solís navegou por esses mares em 1516, vários espanhóis, portugueses, ingleses e holandeses visitaram a região com suas embarcações.
Há vários pequenos museus no centro histórico de Colonia, a maioria deles ao redor da Plaza Mayor. O Museo Portugués exibe réplicas de móveis e uniformes utilizados pelos portugueses. O Museo Municipal tem um acervo com objetos, artefatos e documentos de diferentes períodos da colônia. O Museo
do del Azulejo
mostra diferentes tipos de azulejos de países como Portugal, Espanha e França, além dos primeiros utilizados no Uruguai. E o Museo Naval conta a história dos conflitos marítimos que fizeram parte da história da cidade.
Uma das paradas durante a caminhada foi no farol da cidade, finalizado em 1857, que está junto às ruínas do Convento de San Francisco, nos arredores da Plaza Mayor. É possível subir no Farol para ter uma vista incrível da cidade. A entrada custa 20 pesos e a subida é por uma escada em caracol bem apertadinha e no final é preciso passar por uma passagem estreita e baixinha, mas é tranquilo.
Todos os dias às 16h na frente do Farol tem início um passeio guiado pelo centro histórico. Acabei não fazendo porque já tinha andado tudo e queria passear de bicicleta, mas dizem que vale a pena. São
pouquíssimas ruas, mas lá estão alguns museus e galerias que você não pode deixar de conhecer. Peça informações no centro de turismo ao lado do Portão de Campo. Quando cheguei também vi um grupo fazendo um tour de bicicleta, pareceu interessante também.
Após caminhar bastante pelo centrinho, parei para experimentar o  chivito do restaurante Mercosul, na Av. General Flores, a principal Avenida de Colônia, que fica numa área mais nova, onde as ruas são mais largas e as construções mais recentes. Depois voltei para a Plaza Mayor e comi uma sobremesa no Fredo.
Colônia é o destino ideal para ser conhecido de bicicleta. Aluguei uma bicicleta na Trhifty e pedalei pela Rambla de las Américas, a avenida que vai margeando todo o Rio da Prata, passando por várias prainhas. As praias de Colonia, por serem banhadas pelo Rio da Prata, têm águas de tonalidade mais
escura, porém são limpas e próprias para banho. Amei fazer esse passeio de bike, como era domingo, muitas pessoas estavam passeando, fazendo um pic nic.

Além de bicicletas a Trhifty também aluga carrinho de golf.

Após 1 hora pedalando voltei para o centro, pois queria chegar a  tempo de ver o pôr do sol. Devolvi a bicicleta e fui até o Paseo de San Gabriel, um local com uma mureta branca de frente para o Rio da Prata, onde todos se sentam para admirar o visual. O Paseo San Gabriel fica que fica bem na
pontinha do centro histórico, perto do Muelle 1866.

Umas das principais atrações de Colônia é assistir o pôr do sol no Paseo de San Gabriel. É Nesse local há vários bares e restaurantes para aqueles que preferirem apreciar a vista tomando um chá ou uma taça de vinho.
Após esse lindo espetáculo, dei mais uma voltinha pelo centrinho observando o cair da noite e as luzes dando um charme a mais à Colônia. Voltei para Montevidéu no ônibus da COT às 19h.

 

0 Comentários
Escreva seu comentário
Comente via facebook
Instagram
@seguindo_viagem
css.php