Fechar
Monte Roraima, Venezuela

Monte Roraima – Dia 1 – Paraitepuy – Acampamento Tek

25 de abril de 2017

Nesse post vou contar como foi nosso primeiro dia de trekking para o Monte Roraima. Se você ainda não leu os posts anteriores sugiro ler o posts sobre o planejamento da viagem: Como chegar no Monte Roraima, O que levar na mochila, Contratar agência ou guia e Santa Helena de Uairén.

Saímos de Santa Elena de Uairén pela manhã em direção à São Francisco, vilarejo onde mora o guia da expedição Nelson. Chegando lá, tomamos um café da manhã na casa do Nelson e tivemos a oportunidade de deixar na casa dele algumas coisas que não precisaríamos levar para o Monte Roraima.

O grupo reunido tomando café da manhã.

Arepas e omelete

Enquanto isso os guias preparavam as mochilas para a expedição. As “mochilas” são fabricadas por eles mesmos, utilizando materiais simples, como palha e cordas.

É incrível como cabe tanta coisa nessas mochilinhas. Eles carregam um peso danado nas costas. A equipe do guia Nelson era composta por 5 pessoas, entre elas o filho do Nelson de 9 anos (era a segunda vez dele no Monte Roraima).

Tudo pronto, colocamos as mochilas no jipe e partimos para a tão esperada expedição Monte Roraima.

De São Francisco seguimos até Paraitepuy, local onde começa o trekking. Para chegar até lá é preciso seguir nesses carros 4×4 porque o caminho é cheio de subidas e buracos.

Última chance de comprar uma bebida na Bodega Wadaka, agora só daqui a 6 dias.

Em Paraitepuy é preciso assinar o livro de controle e ler as normas do parque.

Antes de partimos foi servido um almoço, sanduíche de atum com tomate e pepino.

Alguns carregadores já seguem na frente do grupo para se adiantar.

Cada grupo possui uma equipe de carregadores para levar as comidas, equipamentos de camping, barracas, fogareiro, banheiro, etc. Cada pessoa só precisa levar a sua mochila com seus pertences, seu saco de dormir e seu isolante térmico.

Se você quiser pode contratar um carregador para levar sua mochila, basta combinar antes com algum deles e acertar o pagamento.

O trabalho dos carregadores é duro, eles caminham o dia inteiro com peso nas costas e quando chegam no acampamento tem que montar todas as barracas e fazer a comida do grupo. Eles não usam calçado apropriado, nem roupas especiais. Muitos caminham de crocs ou com tênis bem gastos, furados e velhos.

E a expedição começa com muitas expectativas para essa jornada rumo ao Mundo Perdido.

Mochila nas costas e força nas pernas para seguir os 12 quilômetros de estrada até o primeiro acampamento. Minha dica para o primeiro dia é usar um calçado amaciado e se perceber algum lugar querendo formar bolha nos pés colocar logo um esparadrapo para evitar a formação de bolhas.

Vale a pena levar alguns lanchinhos para dar uma energia na trilha. Depois do almoço, a próxima refeição é o jantar e costuma dar uma fome antes disso. Eu comprei alguns biscoitos e chocolates no mercado de Santa Elena. Também levei algumas comidinhas de casa.

A paisagem do caminho é encantadora, o tempo todo admirando os paredões imponentes do Monte Roraima.

Durante o percurso são feitas algumas paradas para descanso e para pegar água nos riachos e nascentes pelo caminho.

O início do caminho tem algumas subidas íngremes, mas depois permanece plano na maior parte do tempo. A caminhada do primeiro dia não foi muito cansativa, nós demos sorte também porque o tempo estava nublado e não teve aquele sol quente na nossa cabeça. Cada um vai no seu ritmo, alguns vão na frente outros vão mais devagar, mas nas paradas para descanso o pessoal se encontra.

O tempo estimado para esse trecho é de 5 horas, mas nós fizemos em bem menos tempo, cerca de 3 horas.

Chegamos no acampamento Tek no fim da tarde, o tempo estava limpo e muito bonito.

O acampamento Tek fica numa altitude de 1050 metros.

Algumas construções do acampamento Tek.

Chegando lá encontramos os outros grupos que saíram mais cedo que nós.

Nesse dia, o banho é de rio e a temperatura da água é agradável, não é muito gelada.

São os guias que montam as barracas e preparam as refeições. Antes do jantar eles serviram um café para esquentar o frio.

Para o acampamento é bom ter uma corda para fazer de varal e colocar a toalha para secar. Mas não deixe a noite toda porque o sereno deixa tudo molhado. No primeiro dia esqueci a meia do lado de fora da barraca e ficou toda úmida.

Olha a vista da minha varanda, melhor do que muito hotel 5 estrelas.

Mais tarde o jantar foi servido, nesse dia tivemos macarrão com carne moída. Estava bem gostoso e vinha muita comida no prato.

À noite assistimos ao espetáculo da lua cheia, foi muito lindo ver a lua nascer no meio daquela escuridão.

Durante a noite esfriou um pouco, mas não muito. De madrugada senti um pouco de calor na barraca porque ficou fechada.

Foi maravilhoso nosso primeiro dia, cheio de experiências novas e aprendizados.

 

1 Comentário
Escreva seu comentário
Comente via facebook
1 Comentário
  1. […] No segundo dia de trekking para o Monte Roraima, acordamos cedo, tomamos um delicioso café da manhã, com panquecas, geléia, queijo, café e suco. Veja também como foi o primeiro dia de trekking ao Monte Roraima. […]

Instagram
@seguindo_viagem
css.php