Fechar
Hakone, Lago

Hakone além do Monte Fuji

15 de junho de 2016

O momento mais esperado da minha viagem ao Japão era ver o Monte Fuji, a montanha símbolo do Japão. Eu estava ansiosa para vê-lo o mais rápido possível. Nossa primeira cidade no Japão foi Tokyo e eu queria ir para algum lugar onde eu pudesse ver o Monte Fuji de perto. Foi então que descobri Hakone, uma cidadezinha a 83 quilômetros de Tokyo e a mais perto para ver o Monte Fuji.

É muito importante planejar sua ida a Hakone num dia com tempo bom, já que o Monte Fuji é facilmente encoberto pelas nuvens e por isso é mais conhecido como Monte Fugiu, rsrs. Infelizmente quando fomos o tempo amanheceu bonito, mas depois ficou nublado o dia inteiro e não conseguimos ver o Monte Fuji. Ainda bem que ainda tínhamos outros dias em Tokyo e fui para Kawaguchiko onde finalmente consegui vê-lo.

Apesar de não conseguir atingir meu objetivo, descobri outras coisas legais para ver em Hakone além do Monte Fuji e saí com uma ótima impressão de lá.

Hakone faz parte do Parque Nacional de Fuji – Hakone – Izu, um parque repleto de belezas naturais ao redor do Monte Fuji. Além da vista do Monte Fuji, Hakone é muito procurada também por suas fontes termais (onsens) e é um dos destinos mais populares entre os turistas japoneses e internacionais que procuram uma pausa de Tóquio. O ideal é reservar pelo menos dois dias para curtir bem a região.

A melhor maneira de explorar Hakone é adquirindo o Hakone Free Pass, um passe que dá direito a usar todos os meios de transporte disponíveis: Trem, ônibus, bondinho, funicular, barco. Esse passe vale muito a pena se você quer explorar o parque fazendo a rota circular, porque você vai precisar andar em todos esses meios de transporte. O Hakone Free Pass pode ser adquirido para 1, 2 ou 3 dias.

Como chegar

Em Tóquio você vai pegar um trem bala até Odawara (esse trecho está incluído no JR Pass). Chegando em Odawara vá até o guichê de informações e adquira seu Hakone Free Pass. Você vai receber um mapa de Hakone e explicações sobre os meios de transportes. A melhor forma de explorar o local é fazendo o roteiro circular, conforme vocês podem ver no mapa.

mapa-hakone-japao

Com o mapa em mãos é só decidir quais são seus pontos de interesse e ir parando pelo caminho. O site da Odakyu posssui sugestões de roteiros para seguir por lá.

Em Odawara o primeiro meio de transporte será o trem da linha Hakone Tozan Line. O caminho é muito bonito, no meio da floresta, passando por belas paisagens.

Nossa primeira parada foi na estação Chokoku No Mori para visitar o Hakone Open Air Museum, um museu ao ar livre bem interessante, no estilo no nosso em Inhotim. São várias esculturas espalhadas pelos jardins e com vista para as montanhas, uma combinação harmoniosa de natureza e arte.

Hakone-open-air-museum (1)

Hakone-open-air-museum (2)  Hakone-open-air-museum (5)

Hakone-open-air-museum (6)

Hakone-open-air-museum (7)

Hakone-open-air-museum (8)

Hakone-open-air-museum (10)

Hakone-open-air-museum (11)

Hakone-open-air-museum (12)

Hakone-open-air-museum (13)

Hakone-open-air-museum (14)

Hakone-open-air-museum (15) O museu também possui algumas galerias de arte e um espaço exclusivo com obras de Pablo Picasso.

Hakone-open-air-museum (16)

Hakone-open-air-museum (4)

Depois de visitar o museu voltamos para a estação e pegamos o mesmo trem com destino a Gora, estação terminal do trem Hakone Tozan Line. Ao redor da estação tem várias lojinhas e restaurantes, aproveitamos para dar uma voltinha e almoçar por aqui. Achei muito gostoso o clima de Gora, semelhante a uma cidadezinha de interior. Em Gora existem muitas fontes de águas termais, os onsens.

hakone-68

Uma das atrações de Gora é o Gora Park, um parque em estilo francês com um lindo jardim de rosas e uma fonte no meio. Dentro do parque funcionam um restaurante e uma casa de chá. O parque fica a 5 minutos à pé da estação.

hakone-59

Depois de visitar o parque voltamos para a estação Gora para continuar o circuito. A próxima estapa é feita no Hakone Tozan Cable Car, um trenzinho ligado por cabos que sobe um plano inclinado e liga a Estação Gora à Estação Souzan. O caminho é muito bonito passando pertinho das casinhas super estilosas. O percurso dura 10 minutos e ao longo do caminho existem 4 paradas, onde é possível descer e explorar os arredores. Entre os atrativos do caminho estão o Gora Park e o Hakone Museum of Art.

Em Souzan nós pegamos o Hakone Hopeway até Togendai. O Hakone Hopeway é um bondinho muito parecido com o bondinho do Pão de Açúcar no Rio de Janeiro que garante lindas vistas do Monte Fuji, caso o tempo permita.

hakone-129

Eu não tive essa sorte, então mostro aqui uma foto de como seria lindo se o tempo estivesse limpo.

hakoneropeway

Entre Souzan e Togendai está Owakudani, uma área em torno de uma cratera criada durante a última erupção do Monte Hakone há cerca de 3000 anos atrás. Hoje, grande parte da área é uma zona vulcânica ativa com vapores sulfurosos , fontes termais e rios quentes. Tem uma lojinha onde você pode comprar ovos cozidos nas águas vulcânicas, que segundo eles, prolonga a vida por sete anos. Os ovos ficam com a casca preta por causa do enxofre.

Infelizmente essa área de Owakudani estava interditada quando fomos por causa dos gases vulcânicos e tivemos que fazer uma parte do percurso de ônibus. Depois pegamos o bondinho e continuamos até Togendai.

Chegando em Togendai nós embarcamos no Hakone Sightseeing Cruise, um navio em estilo pirata que navega pelo Lago Ashinoko até Moto Hakone. O passeio é muito bonito e garante belas vistas do lago e contornado pelas montanhas. O Lago Ashinoko foi formado na caldeira do Monte Hakone após a última erupção do vulcão 3000 anos atrás.

hakone-japao-3

O Lago Ashi com o Monte Fuji no fundo é o cartão postal de Hakone. Uma pena o Monte Fugiu não ter aparecido. Os horários que garantem melhor visibilidade do Monte Fuji são pela manhã bem cedo e no fim da tarde e a visibilidade é melhor durante as estações mais frias.

A foto cartão postal com o Monte Fuji ao fundo:

hakone-monte-fuji

E como eu vi:

hakone-104

O Tori que se vê na beira do lago indica a entrada do Hakone Shrine, um templo aos pés do Monte Hakone escondido na floresta.

Desembarcamos na outra margem do lago, em Moto Hakone e fomos caminhamos até Cedar Avenue, um lindo corredor com mais de 400 árvores de cedro. As árvores tem mais de 350 anos de idade e chegam até 30 metros de altura.

hakone-japao-4

Depois pegamos um ônibus Hakone Tozan Bus para Hakone Yumoto, onde pegamos o trem de volta para Odawara e depois para Tóquio. Foi um dia bem puxado, o ideal seria ficar uns dois dias por aqui.

Um lugar que eu queria ter ido, mas não deu tempo foi o Gotemba Premium, um shopping outlet aos pés do Monte Fuji. O shopping tem mais de 200 lojas e uma roda gigante de 50 metros. Um ótimo lugar para ver o Monte Fuji e ainda fazer umas comprinhas.

 

 

0 Comentários
Escreva seu comentário
Comente via facebook
Instagram
@seguindo_viagem
css.php