Fechar
América do Sul, Bogotá, Destinos Internacionais, Urbano

O que fazer numa escala de 12 horas em Bogotá

10 de março de 2014
Plana, arborizada, cheia de parques e preocupada com a qualidade de vida de seus moradores. Essa é
Bogotá, uma moderna cidade cheia de atrações para todos os gostos. Localizada a 2640 metros de altitude, a cidade possui um simpático centro histórico de ruas de paralelepípedos e casas do período colonial. Bogotá também abriga alguns dos mais impactantes museus de toda a América do Sul, como
os imperdíveis Museo del Oro, o mais importante sobre o tema no planeta, onde é possível conhecer a história do metal e ver peças inclusive do período pré-colombiano  e o Museo de Botero, reconhecido artista plástico da Colômbia que doou seu acervo – com peças suas e de outros famosos, como Picasso e Miró, para o espaço criado em sua homenagem.
Aos pés do Cerro Monserrate, de onde se têm belas vistas panorâmicas da região, é possível perceber
a dimensão da cidade. A agradável atmosfera em seus bares e restaurantes, parques e ruas são um convite para sentar e apreciar um bom café colombiano.
Bogotá deixou para trás sua fama de insegura e violenta e hoje é considerada uma das metrópoles mais seguras da América Latina.
Nosso voo da Copa para Cartagena fazia uma escala de 12 horas em Bogotá (escolhida propositalmente para conhecer a cidade). Pegamos um ônibus do aeroporto que nos levava até um terminal e de lá pegamos um Transmilênio (BRT da Colômbia) até o centro histórico.  É bem tranquilo usar o transporte público em Bogotá, o Transmilênio possui diversas linhas que se cruzam como um metrô na superfície.
Nosso primeiro destino era o Cerro Monserrate, uma montanha de 3152 metros acima do nível do mar. No topo, fica o Santuario del Señor Caído, destino de muitos peregrinos principalmente durante os finais de semana.
O Cerro Monserrate está localizado logo atrás da Candelaria, então aproveitamos para conhecer os dois,
que são também os mais importantes.
Para chegar até lá, é só pegar um transmilênio e descer no ponto do Museo Del Oro. De lá dá pra ir caminhando por uns 20 minutos ou pegar um táxi. Chegando na Estação Monserrate você escolhe se quer subir e descer de teleférico ou funicular, um trenzinho que segue um trilho muito íngreme. Pode
também combinar subir por um e descer por outro. No dia que fomos só o funicular estava funcionando.

A vista lá de cima é incrível. Dá pra se ter uma noção do tamanho de Bogotá e de como ela se espalha pelo vale nos Andes. Além da bela vista, o lugar também tem um Santuário, que foi construído em 1967, um caminho que representa a via crucis, restaurantes, lanchonetes e até lojinhas de souvenir.

 

 
Depois de visitar o Cerro Monserrate, fomos almoçar uma parrilhada num restaurante típico e depois seguimos em direção ao bairro La Candelária, onde estão os principais museus e ruas charmosas.
Caminhamos um pouco e chegamos na Plaza de Bolívar, onde fica a estátua de Simón Bolívar, responsável pela independência da Colômbia e de outros 5 países. Tomada por pombos, é local de manifestações públicas e celebrações. Ali está também a Catedral Primada, construída em 1556, mas que já teve de ser reconstruída depois de um forte terremoto em 1785. Em volta da praça também estão o Palacio de Justicia e o Capitolio Nacional, sede do Congresso.

 Catedral Primada

 Atrás do Capitolio, seguindo pela Carrera 7, está a Casa de Nariño, onde mora o Presidente Calderón.

 

 

0 Comentários
Escreva seu comentário
Comente via facebook
Instagram
@seguindo_viagem
css.php