Fechar
América do Norte, Cenotes, Ecoturismo, México

Cenotes

28 de março de 2014
Os cenotes são espécies de cavernas cheios de águas da chuva, que formam belos poços de água cristalina. Possuíam grande importância para o povo maia, visto que vários sítios arqueológicos foram construídos próximos a cenotes, como por exemplo Chichén Itzá, Tulum e Cobá.
Além der servir como fonte de água, os cenotes também eram locais de cerimônias religiosas.
O México é cheio de cenotes belíssimos e a maioria de acesso bem fácil. Vou falar um pouquinho sobre aqueles que eu visitei.

Cenote Ik Kill

Visitei o Cenote Ik Kill no dia do passeio à Chichén Itzá. Peguei um ônibus na entrada do sítio arqueológico. É ótimo para nadar e saltar da plataforma (brincar como eles dizem). Possui uma boa infra-estrutura com banheiros, vestiários, guarda-volumes, lanchonetes, lojinhas. Um local bem agradável.

Cenote Azul

Fica bem próximo de Akumal, do lado do Cenote Cristalino, dá pra ir andando.

São vários cenotes interligado, muito parecido com os rios de Bonito/MS. Possui uma plataforma para saltos.

Fui num domingo e o cenote estava bem cheio, a maioria eram mexicanos com suas famílias, crianças.
cenotes

 Cenote Cristalino (Spa dos Pés)

O Cenote Cristalino fica ao lado do Cenote Azul, bem pertinho mesmo, a poucos passos. Você sai do Azul, caminha para esquerda e já está no Cristalino.
Visitei esse cenote no mesmo dia em que fui à Akumal. Depois de passar um bom tempo nessa praia maravilhosa, peguei o colectivo até o cenote Azul. Depois fui ao Cristalino porque fecha mais tarde.

È um cenote muito bonito e bem iluminado pela luz do sol.

Possui plataforma para saltos.

Fecha às 18h enquanto que os outros fecham às 17h.
O mais divertido nesse cenote é que possui muitos peixinhos famintos, que ficam dando mordidinhas nos pés. No começo é difícil ficar com o pé parado porque faz cócegas, mas depois acostuma e dá para aproveitar o SPA dos pés. Uma delícia!

Cenote Dos Ojos

O próprio nome já explica o cenote, “Dos Ojos” significa “Dois Olhos” em espanhol. O Cenote possui dois olhos interligados, onde é possível entrar por um olho e sair por outro.

Foi o cenote que eu mais gostei, o mais interessante, com muitas estalactites e estalagmites e uma Bat Caverna muito legal. Fiz um passeio imperdível e que vale a pena ser explicado com mais detalhes.

Como chegar:

O Cenote dos Ojos fica no caminho entre Playa Del Carmem a Tulum, quase em frente ao parque Xel-Há. Fui de van e pedi ao motorista para me deixar no Cenote dos ojos. Da entrada até o Cenote são uns 10 minutos de carro e é muito longe para ir andando.

Na entrada do cenote tem um balcão de informações e eles disseram que há duas formas de conhecer o cenote:

1) somente a entrada, que custa 150 pesos.

2) entrada mais passeio guiado até as cavernas que custava 450 pesos.

Optei pelo passeio guiado pelo seguinte:

Só para chegar até o cenote eu iria precisar de transporte, pois é muito longe para ir andando. E com o passeio guiado o transporte até o cenote já está incluído.

Não é permitido entrar nas cavernas sem guia. Comprando só as entrada eu ficaria restrita à parte externa do cenote e perderia a melhor parte.

O passeio inclui todo o equipamento necessário para snorkel inclusive roupas de neoprene, lanternas e guia.

A diferença de preço era de 300 pesos e incluía muitas vantagens, então não compensava pagar 150 pesos para não ter direito a nada. ( ainda chorei um descontinho e eles deixaram por 400 pesos).

Como é o passeio:

Chegando no cenote me colocaram num grupo de 5 pessoas que fariam o passeio guiado. Deixamos nossos pertences numa sala e pegamos os equipamentos: colete, snorkel e pés de pato.

Inicialmente descemos no primeiro “olho” para fazer uma espécie de adaptação, ficamos nadando uns 10 minutos. O guia perguntou se alguém queria colocar a roupa de neoprene, mas a água não estava tão gelada, então eu não coloquei.

A água desse cenote tem um azul muito bonito, transparente e clarinho.

cenotes
 Em seguida iniciamos o passeio propriamente.

Fomos até o segundo olho, que fica a uma curta caminhada do primeiro.

O guia distribuiu uma lanterna para cada um e começamos a exploração. O passeio dura cerca de 1 hora, e você passa o tempo todo nadando sem colocar os pés no chão, mas é tranquilo porque o colete ajuda a flutuar.

O guia vai na frente e após um atrás do outro nadando lentamente. Estava bem escuro e a lanterna foi essencial. Passamos por espaços bem apertados, era preciso ficar com a cabeça quase toda debaixo d’água para não bater nas estalactites que passavam bem rente à nossa cabeça. A atenção era dividida entre olhar o fundo do cenote e olhar em volta, ambos magníficos. Embaixo d’água a profundidade impressionava e as estalagmites no fundo do cenote deixavam o passeio ainda mais emocionante.

Depois era hora de conhecer a caverna dos morcegos, repleta de morcegos voando sobre as nossas cabeças. Felizmente eles não se aproximam muito não. Impressionante a grandiosidade do lugar, pena que as fotos com a gopro ficaram péssimas porque era muito escuro, nenhuma foto ficou boa. Fotos lá dentro só mesmo com uma máquina profissional. Depois que eu já tinha feito o passeio veio uma fotógrafa oferecer serviço de fotos, fica a dica se alguém quiser fazer fotos, pergunte se tem algum fotógrafo disponível.

Depois da caverna, continuamos explorando o lugar , nadando bem devagar até chegar no outro “olho” onde termina o passeio. Muitas pessoas estavam fazendo mergulho com cilindro, mas eu achei que o snorkel atendeu bem esse passeio, pois permitia levantar a cabeça e olhar para fora a qualquer momento.

Esse foi o melhor cenote, o mais impressionante e diferente. Curti demais e achei que valeu muito a pena ter escolhido o passeio guiado.

0 Comentários
Escreva seu comentário
Comente via facebook
Instagram
@seguindo_viagem
css.php